segunda-feira, 14 de julho de 2008

A Pulga e o Piolho

Eu fiz essa reconto de um conto popular francês. Espero que vocês gostem tanto como eu gostei de fazê-lo...

A Pulga e o Piolho

Estava a pulga e o piolho em sua casa, quando a pulga resolveu sair para ir ao moinho pegar trigo.

Antes de sair avisou ao Piolho: Tome cuidado Piolhinho para não cair na panela de sopa hein!

O pequeno piolho achou engraçada a preocupação da amiga e riu-se a valer:

- Pode deixar que tomarei cuidado e não cairei na panela!

Depois que a pulguinha saiu, o piolho resolveu a arrumar a casa, pois aquele era o seu dia de faxina.

Começou a esfregar o chão, lavar a louça e aproveitou também para tirar o pó dos lustres.

Quando tudo estava bem limpinho e brilhando ele resolveu ir até o jardim para tirar um cochilinho debaixo da roseira.

Quando depois de algum tempo, a pulguinha voltou, ficou muito assustada ao encontrar a porta aberta.

- Aonde está você amigo piolho?- Ela gritou duas vezes.

Silêncio. Ninguém respondia.

A pulguinha procurou em todos os lugares mas não encontrou o piolhinho.

Quando ela viu que a panela de sopa fervia no fogão, seu coração se entristeceu.

- Pobre do meu amigo piolhinho! Caiu na panela de sopa e virou caldinho!

E começou a chorar copiosamente.

- Não posso continuar nessa casa onde fomos tão felizes! Vou sair pelo mundo!Agora mesmo!

Quando deu uns passos para a porta, a mesa lhe perguntou:

- Porque está chorando Pulguinha?

- Piolhinho caiu na panela de sopa e virou caldinho. Eu vou embora, pois não quero morar aqui sozinha.

Pensativa, a mesa respondeu:

-Se você vai embora, eu vou com você.
A mesa levantou suas pernas e saiu atrás da pulguinha.

Quando deram mais um passo, o vaso de artesanato perguntou de seu pedestal

- Porque está chorando Pulguinha ?

- Piolhinho caiu na panela de sopa e virou caldinho. Eu vou embora, pois não quero morar aqui sozinha.

O vaso então falou:

-Se a mesa vai contigo, eu vou também!

E saiu andando atrás da mesa.

Quando passaram pela porta, esta perguntou curiosa:

- Porque está chorando Pulguinha ?

- Piolhinho caiu na panela de sopa e virou caldinho. Eu vou embora, pois não quero morar aqui sozinha. A mesa e o vaso resolveram vir comigo também.

Então a porta falou:

-Se a mesa e o vaso vão contigo, eu vou também !

A porta então saltou de suas dobradiças e saiu andando atrás do vaso.

Quando chegaram perto da nogueira, a grande árvore perguntou:

- Porque está chorando Pulguinha ?

- Piolhinho caiu na panela de sopa e virou caldinho. Eu vou embora,pois não quero morar aqui sozinha. A mesa, o vaso e porta resolveram vir comigo também.

A nogueira, muito nobre sussurrou:

-Se a mesa, o vaso e porta vão contigo, eu vou também !

A nogueira então retirou suas raízes da terra e foi andando atrás da porta.

Quando todos juntos chegaram perto da roseira, o barulho foi tanto que acordou o piolhinho.

A pulguinha, a mesa, o vaso, a porta e a nogueira não sabiam ao dar de cara com o piolhinho se espreguiçando debaixo da roseira.

Vivinho da silva!

Quando contaram a história para o amigo dorminhoco, foi ele quem riu primeiro
Quem riu depois foi a pulguinha...
Quem riu depois foi a mesa...
Quem riu depois foi o vaso...
Quem riu depois foi a porta...
Quem riu depois foi a nogueira...

E todos voltaram alegremente para casa.
A nogueira enterrou suas raízes na terra, a porta colocou suas dobradiças, o vaso foi para seu pedestal, a mesa foi para o centro da sala e a pulguinha se sentou na mesa, enquanto o piolhinho trazia a sopa para os dois comerem.

Depois de tanta confusão, eles estavam com muita fome!

Um comentário:

Ósmio disse...

Um piolho e uma pulga decidiram morar juntos e um dia estavam fazendo cerveja numa casca de ovo. E então, o pequeno piolho caiu dentro e se queimou. Diante disto, a pequena pulguinha começou a gritar alto. Então, a pequena porta do quarto disse, "Minha pequena pulguinha, porque está gritando?"

"Porque o piolho se queimou."

Louca de dor, a porta começou a ranger. Foi aí que uma vassoura, que estava encostada num canto, falou para a porta, "Porque você está rangendo, pequena porta?" - "eu não posso me lamentar?"

"O piolhinho se queimou todo,

E a pulguinha está chorando."
Então, a vassoura também começou a varrer que nem desesperada. Um carrinho de mão, que passava pelo local, perguntou, "Porque está chorando, minha amiga vassoura?" - "eu não posso chorar?"

"O piolho se queimou,

A pulguinha está chorando,

E a porta está rangendo de dor."
Então, o carrinho de mão disse, "Então, eu vou correr," e saiu correndo que nem louco. Então, um monte de cinzas que corria com ele, falou "Porque você está correndo também, carrinho de mão?" - "Eu não tenho motivos para correr?"

"O piolho se queimou,

A pulguinha está chorando,

A porta está rangendo de dor."

E a vassoura está varrendo."
Nesse instante, o monte de cinzas falou, "Então, vou queimar furiosamente," e começou a queimar com chamas claras. Uma pequena árvore estava perto do monte de cinzas e perguntou, "Monte de cinzas, porque você está queimando?" - "Será que eu não tenho motivos para estar queimando?"

"O piolho se queimou,

A pulguinha está chorando,

A porta está rangendo de dor."

A vassoura está varrendo."

E o carrinho de mão está correndo."
A pequena árvore então, falou, "Então, vou me sacudir todinha," e começou a se sacudir e todas as suas folhas caíram; uma garota apareceu carregando um jarro de água, viu tudo aquilo e perguntou, "Minha amiga árvore, porque você está se sacudindo toda?" - "Será que eu não tenho motivos para me sacudir?," respondeu ela.

"O piolho se queimou,

A pulguinha está chorando,

A porta está rangendo de dor."

A vassoura está varrendo."

O carrinho de mão está correndo."

E o monte de cinzas está se queimando."
Então, a garota falou, "Então, eu vou quebrar o meu pequeno jarro dágua," e ela quebrou o seu pequeno jarro dágua. Então, disse uma pequena fonte de onde corria a água, "Menininha, porque você está quebrando o jarro dágua?" - "eu não tenho motivos para quebrar o jarro dágua?"

"O piolho se queimou,

A pulguinha está chorando,

A porta está rangendo de dor."

A vassoura está varrendo."

O carrinho de mão está correndo."

O monte de cinzas está queimando."

E a pequena árvore está sacudindo."
"Oh, não!" disse a fonte, "então, eu vou começar a correr," e ela começou a correr com muita força. E todos se afogaram na água, a menina, a pequena árvore, o pequeno monte de cinzas, o carrinho de mão, a vassoura, a pequena porta, a pulguinha, o piolho, todos juntos.


* * * * *