quarta-feira, 25 de julho de 2007

A Pipa


Para Gabriel.

A pipa voa sem asas.

Livre, corta o céu.

A pipa dança no azul.

A pipa é dona do azul

A pipa é festeira. É atrevida.

É abusada a debicar.

Ela enfeita a imensidão

Com cores e rabiolas.


A pipa voa tão alto... tão alto....


A pipa é biruta.

A pipa é batuta.

Faz troça com o vento, faz firula...

A pipa é o sonho do menino.

A pipa são as asas do menino.


Ah! Como a pipa é bonita!

( Publicado no livro de Poesias Na Rota)






Nenhum comentário: