sábado, 27 de junho de 2009

O Pequeno Principe

Hoje aqui no Rio tá fazendo um friozinho daqueles bem gelados.

Que tal ficar debaixo do cobertor lendo um clássico da literatura mundial?

Esse livro é um dos mais famosos do mundo, e já foi lido por milhões de pessoas ao redor do planeta.

Eu mesma já li esse livro tantas vezes...

E quantas vezes leio, acompanho a viagem desse menino príncipe como se fosse a primeira vez.

Se você ainda não leu, não deixe de ler.

E se você já leu, que tal reler outra vez?

domingo, 21 de junho de 2009

Inverno



Inverno
Este misterioso gelado.
Gostoso pra dormir
e ver televisão enrolado

Inverno
Usa-se bota e casaquinho
É quando o dia é mais curto
E a noite chega rapidinho.

Inverno
tudo tão geladinho
prefiro tomar chocalate
e ficar no meu cantinho.

sábado, 20 de junho de 2009

Ciranda da Balairina

A Adriana Calcanhoto é a minha cantora favorita, ela fez há algum tempo,um trabalho super legal para crianças com o nome de Adriana Partimpim.
Essa música Ciranda da Bailarina é do Edu Lobo e do Chico Buarque de Hollanda,e faz parte desse trabalho Adriana.

Não deixem de ouvir é uma delícia!!!!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

O Pescador de Estrelas

Esse conto eu fiz como uma singela homenagem a um autor que respeito e admiro profundamente, que chama Bartolomeu Campos de Queiros, que com sua poesia enche meus dias de leveza e amor .

O Pescador de Estrelas
para B.C.Q.


Era assim todos os dias.

Bartolomeu acordava de manhã bem cedinho e dava de comer às rolinhas.
Gostava de vê-las bem gordinhas, os papinhos cheios de miolo de pão, de farelo de milho,de restinho de biscoito de polvilho feito pela avó.

No meio do dia, Bartolomeu se rendia ás leituras da sua vida:
Á escola, à amizade dos amigos, às risadas das travessuras, às suavidades da natureza,às alegrias escondidas nas brincadeiras de meninos, que só são felizes quanto mais sujos e empoeirados estão.

Estes eram outros mundos no meio da jornada.

No final da tarde, o olho comprido se estendia até alcançar os passos cansados do pai, que chegava com os bolsos carregados de gomos de cana.

Bem maduros e tão doces quanto o mel...

Bartolomeu media as horas pelo azul do céu.

Espiava pelo corredor, e quando sua mãe trazia as travessas com a comida miúda daquele dia sabia que a noite se aproximava.

E enquanto todos se preparavam para dormir, Bartolomeu ao contrário, arregalava os olhos, andava inquieto, contando os minutos para ouvir os primeiros roncos do pai.

Era assim todas as noites.

Enquanto todos descansavam das labutas do dia, e sonhavam dias tranquilos e fartos, Bartolomeu saía de fininho, fechando a porta com cuidado para não perturbar os sonhos e nem despertar os pesadelos.

Ele então tomava fôlego e corria para o rio.
O mesmo rio que ele nadava durante o dia.
O mesmo rio que ele pescava peixes.

Este era um outro segredo ensegredado.

Nas noites de lua de porcelana, Bartolomeu içava o barco,
e lá no meio do rio quando tudo serenava,ele pegava o seu caderninho
e escrevia pensamentos, inventava histórias, fantasiava mundos...

Nas noites de céu muito estrelado, quando a lua refletia nas águas igual espelho,
Bartolomeu içava a vara e dava de pescar estrelas.

Estes eram outros dias.

Mas mesmo depois de crescido, Bartolomeu não tomou jeito.
Anda por aí inventando mundos, criando histórias, fantasiando pensamentos.

Eu mesma ouvi dizer que numa noites dessas, de noite clara de porcelana, Bartolomeu foi visto feliz e cheio de sossego com uma cesta carregadinha de estrelas saltitantes.

terça-feira, 9 de junho de 2009

As canções do meu pai


Meu pai foi um homem maravilhoso, desses que gostavam de conversar e cantar canções para os filhos.
Era um excelente contador de histórias, adorava falar sobre sua terra natal, Aveiro, sua casa,seus pais, seu Portugal...
Desde ontem, tem uma canção no meu pensamento.

Era uma canção que meu pai cantava para nós, eu e meus irmãos:

Oh jardineira porque está tão triste
Mas o que foi que te aconteceu?
Foi a Camélia que caiu do galho
deu dois suspiros e depois morreu

Vem jardineira,
Vem meu amor
Não fique triste que esse mundo
é todo seu, e tú és muito mais bonita que a camélia
que morreu....

domingo, 7 de junho de 2009

Campanha do Agasalho

Gente, tem feito tanto frio estes dias, e tem tanta gente que não pode ter agasalhos quentinhos como os nossos.

Pergunte para a mamãe se aquele casaquinho que não te serve mais, aquele cobertor que tá sobrando pode ser doado para alguém que precisa.

Nós sabemos que existem crianças e velhinhos que não podem comprar agasalhos nem cobertores, mas também sabemos que existem pessoas que podem ajudar.

Pessoas como eu e você.

Vamos falar com a mami, com o papi, com o vovô, a vovó, com as titias, com nossos coleguinhas na escola, na igreja e fazer uma campanha bem bonita e bem forte para dar agasalho para as pessoas que não tem?

Você topa? Então vamos nessa!

Se você pode participar, participe.

A gente melhora nossa vida e a do planeta, doando nosso tempo e as coisas que estão nos sobrando para quem realmente precisa.

video

quarta-feira, 3 de junho de 2009



O fato é que tenho andado sumida mesmo.

Estou terminando várias histórias para contar aqui para vocês.

Assim que tiver tudo bem certinho, tudo tim tim por tim tim, vocês vão ser os primeiros a saber e então a gente vai se divertir de muitão...